Director: Gilberto Eduardo, Director-adjunto: Naiene Cauchy

JOGABET

Benguerra na lista de 100 lugares imperdíveis do mundo

A Ilha de Benguerra,  uma das cinco ilhas que compõem o mosaico do Arquipélago de Bazaruto, no distrito turístico de Vilankulo (as outras são Bazaruto, Magaruque, Santa Carolina e Bangue) surge no ranking dos “100 Melhores Lugares do Mundo” para conhecer em 2021 (ou que se deviam conhecer uma vez que a COVID-19 vai impondo restrições nas viagens), segundo  distinção feita pela revista norte-americana, “Time”. A par de Benguerra, a Reserva Nacional de Chimanimani, localizada no distrito de Sussundenga, na província de Manica, também surge destacada como um dos locais mais atractivos do mundo.

Para fazer a longa listagem de 100 destinos, que inclui desde lugares turísticos clássicos, como as cidades da Nova York ou Paris, até pontos mais remotos, a revista norte-americana teve como base indicações aos seus correspondentes e colaboradores espalhados pelo mundo. Como critério na escolha, todos tiveram atenção os lugares que oferecem experiências novas e marcantes aos seus visitantes. É nesta formosura chamada Ilha de Benguerra que floresce a densa vegetação tropical e águas cristalinas de uma área protegida no arquipélago de Barazuto, que no seu texto publicado para esta menção honrosa, a revista norte-americana destaca o papel do sector do turismo, severamente punido pela pandemia da COVID-19.

– De muitas maneiras a lista é um tributo às pessoas e empresas na vanguarda dessas indústrias que, em meio a circunstâncias extraordinárias, encontraram maneiras de se adaptar, construir e inovar, destaca.

As autoridades do turismo a nível da província de Inhambane olham para esta distinção como uma janela para reforçar cada vez mais o papel “vital duma indústria altamente responsável pelo desenvolvimento e reconhecimento além-fronteiras da província”, entretanto, mergulhado numa crise trazida pela pandemia da COVID-19.

RECONHECIMENTO QUE NOS COLOCA DESAFIOS

– Esta menção representa o grande trabalho que os operadores turísticos têm estado a empreender. Afinal, é preciso reconhecer que os que colectarem a informação para a prestigiosa revista Time. Pousaram na ilha Benguerra e puderam ter o contacto com a realidade para reportar o que  justamente viram. É um reconhecimento mais que acertado dum sector que é imprescindível nas receitas da província e que nos coloca desafios ainda mais maiores de continuarmos a desenvolver o turismo em Inhambane. Sabemos que o sector vive dias cinzentos dada as restrições em tempos de pandemia, pedimos alguma paciência até que que volte a normalidade, destacou a fonte.

Concorreu para esta eleição, o Santuário de Kisawa, com cerca de 300 hectares de floresta, praia e dunas de areia,  inaugurado em Abril último, que  é de longe o novo porta-estandarte da ilha, uma mescla dos traços culturais locais e da preservação ambiental que os proprietários quiseram vincar no seu traçado.

Recorde-se que a nível da África subsaariana, a cidade de Acra, no Gana, Kwazulu Natal, na África do Sul, o Lago Kivu, no Ruanda, Okavango, no Botswana, foram iguapmente apontados como destinos a visitar.

Por: Gilberto Eduardo

Comentários