Director: Gilberto Eduardo, Director-adjunto: Naiene Cauchy

JOGABET

Inhambane passa a contar com mais 14 escolas

Tenzin Capita

A província de Inhambane vai passar, no presente ano lectivo, a contar com mais 14 escolas, das quais 10 primárias e quatro secundárias. Com a abertura desses estabelecimentos de ensino, a província passará a contar com 980 escolas, sendo 887 primárias e 93 secundárias, com um universo de 514.502 alunos, assistidos por 13.409 professores.

O sector da educação na província de Inhambane poderá, com a abertura das 14 escolas, conhecer uma nova dinâmica, sobretudo no que diz respeito à melhoria do processo de ensino e aprendizagem. É que, com a entrada em funcionamento desses estabelecimentos de ensino, mais alunos deixarão de estudar em condições deploráveis.

Abre-se, por isso, uma nova era nesta parcela do país, na medida em que o sector de educação se tem desdobrado em criar condições para que haja cada vez mais alunos a estudarem em salas de aula convencionais.

Das 14 escolas que entrarão em funcionamento no presente ano aluno lectivo, das quais 10 primárias, serão abertas nos distritos de Mabote, Homoíne, Inharrime, Panda, Vilankulo, Zavala e Inhassoro. Já as restantes quatro, no caso secundárias, serão abertas nos distritos de Funhalouro, Vilankulo, Inhassoro e Homoíne.

Para o sector da educação em Inhambane, a entrada em funcionamento dessas escolas constitui um ganho para a província. Apesar disso, as autoridades reconhecem que ainda têm muitos desafios, com destaque para a construção de mais salas de aula, de modo a permitir que maior número de alunos deixe de estudar ao ar livre.

No âmbito do melhoramento do processo de ensino e aprendizagem, assim como das condições de funcionamento das instituições do sector, estão em curso as obras de reabilitação de 27 salas de aula destruídas pelas intempéries, nos distritos da Maxixe e Morrumbene.

MATRÍCULAS DECORREM SEM SOBRESSALTOS

O processo das matrículas para novos ingressos na primeira classe decorre sem sobressaltos em Inhambane. Com uma meta fixada em 50.672, já foram matriculados, até ao momento, 34.887 alunos, o que corresponde a 69 por cento.

No que diz respeito aos novos ingressos da 8.ª e 11.ªclasses, já foram matriculados 4.797 e 2.006 anos, o correspondente a uma execução de 14 e 10 por cento, respectivamente. A província tem em vista, no presente ano lectivo, munir os alunos de ensino primário de material básico para a sua aprendizagem, daí que planificou alocar cerca de 930.500 livros de distribuição gratuita a todas as escolas.

MAIS CARTEIRAS PARA OS ALUNOS

O sector da educação registou, no ano passado, uma significativa melhoria em relação à distribuição de carteiras escolares. Foram adquiridas e distribuídas 4.070 carteiras em todos os distritos, beneficiando cerca de 16.000 alunos.

Em relação à meta planificada (3.770), a realização do planificado é de 107.9 por cento, havendo a destacar que foram recuperadas 1.535 carteiras que estavam danificadas.

Ainda no ano passado, desta feita no âmbito do Programa de Construção Acelerada, 2021, está em curso a construção de 60 salas de aula, das quais 28 para o ensino primário e 32 de ensino secundário, distribuídas pelos distritos de Homoíne (9), Jangamo (9), Zavala (9), Vilankulo (7), Maxixe (6), Mabote, Massinga, Funhalouro e Inhassoro (5). O término das obras está previsto para Maio do presente ano.

As escolas beneficiárias das salas de aula terão ainda oito blocos administrativos, nove sanitários e seis sistemas de abastecimento de água.

ACESSO À EDUCAÇÃO FOI SATISFATÓRIO

Em 2021 funcionaram, na província de Inhambane, 966 escolas (públicas, privadas e comunitárias), sendo 877 do ensino primário e 89 do ensino secundário, tendo sido matriculados nas instituições de ensino primário e secundário (1.ª a 12.ª classes), 493.983 alunos, correspondentes a 93.8 por cento. Do cumprimento do plano, destes, 145.113 eram novos ingressos.

Na alfabetização e educação de jovens e adultos a meta global era de 13.516, e foram inscritos 8.553, representando uma execução do plano na ordem de 63.3 por cento.

Com vista a reduzir a distância entre a comunidade e a unidade de ensino mais próxima e para garantir o acesso à educação a todas as crianças em idade escolar, foram abertas oito escolas, das quais seis primárias e duas secundárias.

Segundo dados do sector da educação, foram contratados 501 docentes, sendo 446 para o ensino primário e 55 para o ensino secundário. No entanto, para eliminar as horas extras e segunda turma a necessidade era de 1.474 professores.

Comentários