Director: Gilberto Eduardo, Director-adjunto: Naiene Cauchy

JOGABET

Aumenta formação da rapariga em Vilankulo

Nketiah das Neves

Implantado em 2010 para responder as necessidades da época, que segundo fonte autorizada, passavam por prover os jovens do distrito de Vilankulo com o saber fazer nas mais variadas áreas de formação de curta duração, o Centro de Formação da Fundação para o Desenvolvimento da Comunidade (FDC), através do seu representante nesta parcela da província de Inhambane, Ângelo Xerinda, saudou o esforço empreendido para a materialização da unidade referencial de formação.

A avaliação que faço das actividades formativas do Centro Profissional da Fundação para Desenvolvimento da Comunidade é positiva, se olharmos para o pressuposto pelo qual a instituição foi concebida. Foi criado depois da pesquisa feita em Vilankulo sobre o nível de habilidades de jovens deste distrito. Chegou-se à conclusão de que não havia um centro capaz de prover formações de curta duração e a FDC criou a instituição com o objectivo pleno de formar jovens, na sua primeira fase desfavorecidas, com o saber fazer num período de seis meses. Encontram-se espalhados pelos distritos da província de Inhambane e praticamente em todo o país jovens que saíram desta unidade de formação e que conseguem prover rendas para as suas famílias e seu próprio benefício, explicou Xerinda, com um papel activo no crescimento deste estabelecimento de ensino.

graduados prontos para o mercado de trabalho

– Para mim é um grande orgulho estar a dirigir este centro de formação desde 2010, porque estive desde sempre na base da sua criação. Sei dos propósitos pelos quais foi fundado e está a fazer aquilo que foi definido. Sinto-me feliz porque hoje consigo ver jovens que antes não tinham oportunidade de formação, não tinham onde pudessem se formar e hoje formaram-se e têm condições melhoradas em relação ao passado. Como? Através do kit que eles recebem no final de cada formação e com o qual podem realizar actividades nas comunidades e daí ganhar a vida. O perfil do nosso graduado é de alguém que está pronto para iniciar as suas actividades, porque no final, o que a FDC quer é que os jovens obtenham rendas para ajudar as suas famílias, mas também que contribuam para o país através da sua mão-de-obra qualificada e através também do seu saber fazer, frisou, enaltecendo o número de formados desde que o centro foi fundado em 2010. Dos mais de mil seiscentos alunos quase um terço são raparigas.

– Este centro de formação profissional em Vilankulo ministra sete cursos profissionalizantes virados para a área de construção civil, nomeadamente, o curso de canalização, pedreiro, ladrilhador, electricidade e carpintaria; e tem na área de hotelaria e turismo os cursos de recepção de quartos, restaurante, mesa e bar. Desde 2010, o centro já formou 1633 (mil seiscentos e trinta e três) jovens dois quais 534 (quinhentas e trinta e quatro) são raparigas. Os cursos ministrados têm uma carga de setecentas e oitenta horas, vinte por cento das quais de teoria e oitenta de prática.

Comentários