Director: Gilberto Eduardo, Director-adjunto: Naiene Cauchy

JOGABET

Saldo positivo na terceira fase de vacinação em massa

Por: Nketiah das Neves

A província de Inhambane registou resultados positivos na terceira fase de  vacinação em massa. O processo que abrangeu pessoas com mais de cinquenta anos, professores, funcionários públicos, motoristas e cobradores de transporte de passageiros, decorreu em todo o país durante cerca de duas semanas, ou seja, entre os dias 04 e 18 do mês em curso. A população da província  respondeu positivamente aos apelos das autoridades governamentais e da saúde, preocupadas com o aumento significativo nos últimos meses do quadro de casos positivos, de internamento e óbitos por causa da  COVID-19.

A província que estimara vacinar, nesta fase, mais de 88 mil pessoas, ficou muito próximo dos números esperados ao conseguir vacinar um pouco mais de 87 mil pessoas, o que, na avaliação do Médico Clínico Geral e Chefe do Departamento de Saúde Pública Provincial, Crimildo Helena Alberto, equivale a noventa e nove por cento.

– Para esta fase tínhamos estimado em vacinar um universo de 88.281 pessoas e conseguimos vacinar 87.319, fazendo uma cobertura de 99 por cento de pessoas vacinadas nesta campanha. São resultados que nos deixam com algum alento atendendo que conseguimos uma maior aderência, sobretudo por parte dos motoristas, cobradores de transporte de passageiro e professores. Sorte diferente tivemos dos funcionários públicos e pessoas com mais de cinquenta anos, explicou o responsável pela saúde pública.

– Desde que iniciámos o processo de vacinação, muitas pessoas entraram no grupo já com 50 anos ou mais porque eram diabéticos. Várias pessoas que já tinham sido vacinadas, sem contar que a esta terceira fase coincidiu com a terceira vaga. Há pessoas que não reuniam critérios para a fazer a vacinação.

De salientar que entre as pessoas que tomaram vacina contra COVID-19 em Inhambane nesta terceira fase, 50 mil são pessoas com mais de 50 anos de idade, 13 mil professores,   8 mil funcionários públicos  e cinco mil motoristas e cobradores de passageiros.

 

Comentários