Director: Gilberto Eduardo, Director-adjunto: Naiene Cauchy

JOGABET

Mais de 10 mil famílias vão ter acesso à electricidade em Vilankulo

O Governo de Inhambane continua a fazer contactos com os seus parceiros de cooperação para o desenvolvimento da província nos mais variados domínios, entre os quais o de expandir a electrificação desta que é considerada “Terra de Boa Gente”.
Como resultado, o reino da Suécia, mais uma vez, acaba de se revelar amigo e parceiro da “boa gente”, ao anunciar um apoio adicional de cinco milhões de dólares norte-americanos, o correspondente a pouco mais de 378 milhões de meticais, ao câmbio corrente.
O montante, canalizado através da empresa pública Electricidade de Moçambique (EDM), destina-se a garantir que a população do Distrito de Vilankulo, a norte da província, disponha de um fornecimento de energia eléctrica sustentável, gerada pelas centrais hidroeléctricas de Mavuzi e Chicamba (Distritos de Manica e Sussundenga, respectivamente), na vizinha província central de Manica.
O apoio da Suécia vai permitir uma redução de, pelo menos, 67,1 giga watts/hora (GWH) da energia eléctrica produzida pelos geradores a gás natural e outras fontes de energia como o carvão vegetal e lenha.
Este apoio adicional eleva para 44 milhões de dólares a contribuição global sueca para a electrificação de Vilankulo, segundo um comunicado de imprensa emitido, quarta-feira, 04, pela Embaixada da Suécia, em Maputo, que o “Inhambanense” teve acesso.
A ajuda chega à província quando a população, ainda, se ressente dos efeitos causados pelo ciclone Idai, que fustigou, junto de outras regiões do país, a província e, particularmente, o distrito de Vlankulo, em 2019, causando danos avultados às infra-estruturas de energia eléctrica, incluindo as centrais de Mavuzi e Chicamba.
Na sequência disso, a EDM viu as suas receitas baixarem, o que contribuiu para o atraso da expansão da rede eléctrica em Inhambane.
– A nova contribuição sueca será canalizada para a reabilitação de 14 km [quilómetros] de linha danificada pelas inundações entre a Central Hidroeléctrica de Mavuzi e a subestação de Casa Nova, sublinha a embaixada sueca, Mette Sunnergren, citado pela mesma nota, referindo-se à linha de transmissão aérea a 110 quilovolts (KV).
No âmbito do pacote principal, a Suécia está a financiar a construção de uma linha a 110 kV, de Casa Nova, até Temane, no distrito de Inhassoro, em Inhambane.
“Inhambanense” sabe que o projecto inclui a construção de três subestações eléctricas em Casa Nova, Temane e Vilankulo, para expandir a rede de distribuição para zonas sem energia eléctrica, nos distritos de Govuro, Inhassoro e Vilankulo, todas no norte da província, ligando a pelo menos 6.750 famílias.
– O acesso à energia limpa e segura é um direito humano fundamental e a Suécia está comprometida em apoiar Moçambique no desafio de garantir o acesso universal de energia pelas comunidades mais vulneráveis e, desta forma, reduzir a pobreza, aumentar o acesso à educação e melhorar a saúde pública, refere a fonte, vincando que uma infra-estrutura de energia eléctrica estável, segura e menos vulnerável aos desastres relacionados às mudanças climáticas é crucial para a electrificação de Vilankulo.

Comentários