Director: Gilberto Eduardo, Director-adjunto: Naiene Cauchy

JOGABET

Distrito de Zavala quer recuperar produção e impulsionar o turismo

Nketiah das Neves

O Executivo distrital de Zavala avalia de positiva a implementação do Plano Económico e Social (PES) dos primeiros noves meses do ano em exercício. Esta conclusão é sustentada com base no relatório apresentado no último mês de Setembro e referente ao período acima referenciado, que analisa o desempenho dos principais indicadores económicos e sociais que norteiam o PES. De acordo com o mesmo documento enviado ao INHAMBANENSE, não obstante a conjuntura mundial económica e social, a situação do distrito nestas duas áreas é satisfatória, dentro de vários desafios e perspectivas que o governo de Dário Machava identificou como prioritários.

INDICADORES

COM NOTAS POSITIVAS

Dos 119 indicadores de avaliação obrigatória controláveis, mais de noventa deles apresentaram uma situação positiva, o que concorreu para os cerca de 77.3 por cento geral de todos os indicadores e pilares que serviram de base de análise apresentados pelo executivo local.

Das prioridades e pilares destaca-se o desenvolvimento do capital humano e justiça social, cuja execução situou-se em 65 por cento; crescimento económico, produtividade e geração de emprego em 81.8 por cento; gestão sustentável de recursos naturais do ambiente 92 por cento, enquanto que nos dois pilares apresentados, destaca-se para a promoção de boa governação e descentralização situada nos 87.5 por cento.

Para a consumação destes objectivos, muito contribuíram os contextos políticos, económico e   sociais para a implementação do plano social e económico do período em exercício, que garantiram a boa produção e produtividade na época 2020/2021, que reforçou a segurança alimentar das comunidades e garantiu o desenvolvimento satisfatório das culturas e, de outro lado, a expansão de serviços básicos como educação, saúde, água e energia.

PRODUÇÃO AGRÍCOLA

DE 99, 51 POR CENTO

No plano económico, onde se destacam a agricultura, produção animal, pesca, aquacultura e serviços relacionados a produção agrícola culminou com o alcance da produção em 99,51 por cento do planificado e um crescimento de 5,87 por cento quando comparado ao igual período da campanha 2019/20. Assim, para a campanha agrária 2020/21 foram planificadas 58.533,14 hectares para uma produção esperada de 304.733,74 toneladas de produtos diversos, do qual foi obtida uma produção de 303.234,79 toneladas, com maior destaque para as culturas de amendoim, mandioca, feijão (vulgar e jugo) e hortícolas (couve, tomate, cebola e repolho). A comercialização agrícola registou igualmente um avanço resultante das mais de 293.14 toneladas de culturas diversas, superando os números do mesmo período do ano passado.

A produção pesqueira registada no período em análise foi de 776 toneladas de um plano de 1.640 correspondentes a 47,3 por cento de execução e equivalente a um crescimento maior de 100 por cento face ao igual período do ano passado. Na piscicultura de pequena escala, a execução e crescimento ascenderam também a maior percentagem, resultante da despesca em gaiolas flutuantes na localidade de Quissico. No mesmo contexto, foram construídos 26 novos tanques, ultrapassando os 24 do ano anterior.

Comentários